Visitantes on line

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

EM TEIXEIRA - PB: Macaco se arma com faca peixeira, causa tumulto e precisa ser apreendido.


Um caso pra lá de inusitado surpreendeu as guarnições do 4º Batalhão do Bombeiro Militar (4º BBM) da cidade de Patos! Os soldados do fogo foram chamados para capturar um macaco que estava de peixeira na mão.

O fato aconteceu na última sexta-feira, dia 05, na localidade da Pedra do Tendó, na Serra de Teixeira, Município de Teixeira (PB). O macaco Chico se armou com uma faca peixeira de 12 polegadas e não atendeu aos apelos dos trabalhadores do restaurante para “largar a arma”.


A solução foi acionar o 4º BBM que compareceu ao local. Sargento Neílton e os Soldados Robevaldo, Cícero e Marques, que compõem a guarnição da ABSL 08, saíram para a missão inusitada. Os bombeiros lograram êxito e desarmaram Chico que ainda teria tomado, de acordo com populares, duas doses de cachaça após quebrar uma garrafa durante a fúria.

O macaco se encontra a disposição do 4º BBM para as medidas cabíveis dos órgãos de proteção ao Meio Ambiente.

Patosonline

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Lula: matar o mito para encerrar o ciclo


Quando Juscelino Kubitscheck morreu, em 1976, viu-se que deixou uma fazendinha em Luziânia e um apartamento no Rio de Janeiro. E, no entanto, nos anos que se seguiram ao golpe de 1964, a ditadura forjou a lenda de que fora cassado porque era corrupto e roubara muito durante a construção de Brasília. JK foi cassado porque era o mito eleitoral e político daquele tempo, o candidato mais forte às eleições presidenciais que estavam marcadas para 1965. O triunfo da nova ordem política erigida pelos militares exigia a destruição do mito JK, o presidente que mudara a face do Brasil acelerando a industrialização e interiorizando a capital. Mataram o mito. Depois, o pleito de 1965 foi desmarcado e os brasileiros só votaram novamente para presidente em 1989. Para visitar a cidade que criara, ele vinha a jantares clandestinos organizados pela amiga Vera Brant.

Na segunda morte de JK, a morte física em 1976, estudantes, candangos e centenas de brasilienses acompanharam o féretro da Catedral até o cemitério Campo da Esperança cantando o "peixe vivo" e gritando "abaixo a ditadura". Foi a primeira grande manifestação política de que participei.

Antes de JK, a caçada a outro mito também relacionado a mudanças sociais e econômicas de viés popular, havia terminado com o suicídio de Getúlio Vargas, que com o tiro no peito adiou em dez anos o golpe de 1964.

Há uma clara semelhança entre o assassinato político de JK pela ditadura e a caçada Lula para abrir caminho a uma troca de guarda no poder. Para colocar um fim à ordem política instaurada pelo PT com a chegada de Lula à presidência em 2002 é preciso acabar não apenas com a ideia de que os governos petistas promoveram os mais pobres à cidadania, reduziram a desigualdade, resgataram milhões da miséria e mitigaram, com políticas afirmativas a nossa dívida histórica para com os negros e afrodescendentes. É preciso apagar a ideia de que a Era Lula produziu um invejável ciclo de crescimento e instaurou, com Celso Amorim, uma política externa altiva que garantiu ao Brasil uma projeção internacional sem precedentes. Não basta também apenas a desqualificação eleitoral do próprio PT, por erros cometidos e por erros que são do sistema político. É preciso destruir o mito projetado por estas mudanças, o mito Lula.

Em janeiro, afastada das lides diárias do jornalismo, acompanhei de longe a abertura da temporada de caça a Lula. O que se prenunciava desde o início do ano ficou claro em 27 de janeiro com a Operação Triplo X, que a pretexto de investigar lavagem de dinheiro pela OAS através da venda de apartamentos no Edifício Solaris, mirou Lula e o tríplex que ele cogitou comprar mas nunca adquiriu. De lá para cá os caçadores se espalharam e se armaram, obtendo agora do juiz Sergio Moro a autorização para abrir um inquérito específico destinado a investigar se as empreiteiras beneficiaram Lula ilegalmente através de obras num sítio de amigos de sua família.

Se Lula não tem um tríplex, o crime estará em ter pensando em possuí-lo? Há muitos meses eu o ouvi contar a amigos o que dissera a sua mulher Marisa para que desistissem do apartamento e resgatassem o valor da cota já pago. "Marisa, eles nunca vão nos aceitar como vizinhos num prédio como aquele. Não vão querer andar de elevador com a gente. Vamos desistir disso antes que comecem os aborrecimentos". Era tarde, vieram mais que aborrecimentos. Vieram acusações difusas, sem forma clara, sem fundamentos sólidos mas corrosivas para o mito. O "tríplex do Lula" passou a existir no imaginário popular, embora não exista na escritura.

Agora, com o novo inquérito, querem provar que o sítio de Atibaia não é de seus donos, mas de Lula. E que empreiteiras investigadas pela Lava Jato investiram nele numa forma indireta de pagar propina ao ex-presidente. É isso que querem provar, embora não digam. Mas no imaginário popular a narrativa já colou. Outra ferida no mito.

Feri-lo porém não basta. A destruição de um mito exige mais, exige sua completa humilhação, exige a retirada de toda e qualquer aura de veneração e respeito. Para isso será preciso processar, condenar, trucidar. Será preciso prender Lula. É a este ponto que desejam chegar os caçadores de Lula, para que nada reste da admiração pelo presidente que saiu da miséria extrema do Nordeste, tornou-se operário, liderou greves, fundou um partido, aceitou as derrotas e um dia venceu a eleição presidencial, tornando-se o presidente brasileiro mais popular internamente e o mais conhecido e respeitado lá fora. "O cara", como disse Obama, precisa ser reduzido a pó.

Lula talvez tenha subestimado a sanha dos caçadores e se atrasado na defesa. Certamente cometeu alguns erros na estratégia de defesa. Do PT combalido, pouco pode esperar. Mas certamente algo ainda espera dos que ainda acreditam nele. Se planeja em algum momento denunciar à sua base política e social a natureza política da caçada que enfrenta, o momento chegou. A hora é de crise para todos e isso não favorece reações populares. Mas ainda que seja como prestação de contas aos que o levaram à glória e assistem à sua destruição sem ouvir um chamado, Lula precisa fazê-lo.

Tereza Cruvinel
Brasil 247

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Família Queiroz dividida: Geovane Queiroz anuncia pré-candidatura a vereador pelo PMDB

Geovane Queiroz, Prefeito Nego de Guri e Tim
Diferentemente do que ocorreram em eleições passadas quando a família se unia em torno de uma só projeto político, nas eleições municipais de outubro deste ano, a família Queiroz estará politicamente dividida: uma parte do clã apoiará a pré-candidatura de Nego de Guri a reeleição e a outra parte defenderá o voto no pré-candidato  Wenceslau Marques. 

Para acentuar ainda mais essa divisão, Geovane Queiroz acaba de anunciar a sua pré-candidatura a vereador pelo PMDB, partido do prefeito Nego de Guri, e irá disputar os votos dos parentes e amigos com o seu primo, Elisson Queiroz do PSC  que apoia Wenceslau Marques. 

Geovane Queiroz é filho de Tim (irmão do vice-prefeito Deci Queiroz e do ex-prefeito Elenildo Queiroz). Tim  ocupa atualmente o cargo de Secretário Adjunto do Meio Ambiente na Prefeitura Municipal de Teixeira.   

Com informações de Ardiles Reis

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Prefeitura de Maturéia está construindo dois portais nas entradas da cidade


A Prefeitura de Matureia  está construindo Portais nas duas entradas da cidade, com verba de R$ de trezentos mil reais  em convênio com o Ministério das cidades, Caixa Econômica Federal e Ministério do Turismo. 


A obra deveria ter sido concluída no final do ano passado, mas provavelmente o atraso de repasses de recursos federais impediu que isso acontecesse.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Ex-governador Wilson Braga sofre infarto e está internado em João Pessoa


O ex-governador Wilson Leite Braga passou por um cateterismo na madrugada desta segunda-feira, 8, após sentir-se mal na cidade de Bananeiras onde descancava com a família. De acordo com informações obtidas pelo Portal WSCOM, ele chegou a ser atendido numa unidade de Saúde de Bananeiras, mas foi logo transferido para João Pessoa, onde passou por um cateterismo.

Segundo informações de amigos próximos e familiares ouvidos pela reportagem, ele sofreu um infarto, passou um cateterismo e reagiu bem.

Neste momento ele encontra-se na UTI, em observação. Ele está consciente, consegue falar, mas seu estado ainda inspira cuidados.

Wscom


sábado, 6 de fevereiro de 2016

Filho do vice-prefeito Deci Queiroz é pré-candidato a vereador pelo PSC

O ex-secretário de Meio ambiente e Recursos Hídricos Elisson de Oliveira de Queiroz do Municipio de Teixeira,   tem divulgado que pretende ser candidato a vereador nas eleições deste anos.

Elisson é filho do atual vice-prefeito Deci Queiroz que recentemente rompeu com o Prefeito Nego de Guri e passou a integrar os quadros da oposição. 

Na eleição passada os Queiroz, em sua maioria, apoiaram Carlos de Teína e alguns votaram em Valone Dias. Uma vez que  o vereador Carlos não acompanhou o grupo adesista e Valone vem divulgando que não será candidato, Os Queiroz resolveram apoiar um nome do próprio grupo familiar.

Hospital de Patos atende cerca de 300 vitimas de acidentes com moto por mês

O Hospital Regional de Patos divulgou nesta segunda-feira as estatísticas de atendimentos realizados de 1º a 31 de janeiro deste ano. Em relação às entradas de vítimas de acidentes envolvendo motocicletas, os números caíram 25% comparados com o mês de dezembro último.

Em dezembro de 2015 o Regional atendeu a 390 vítimas de acidentes com motos e 295 em janeiro deste ano. Apesar disso, a média mensal, aproximadamente 300 atendimentos, se mantém. Os números estão bastante longe do que esperam os órgãos de trânsito e hospital, que estão na tentativa de reduzi-los. Vítimas de acidentes envolvendo automóveis somaram 17 e 16 atropelamentos.

O HRP realizou 6.490 procedimentos em janeiro a pacientes de 87 municípios, com 2.650 consultas. Atendimentos de urgência foram 2.033.  Cinco pessoas deram entrada vítimas de tentativa de suicídio; 14 ferimento por arma de fogo e 9 por arma branca (faca); 29 por agressão física; 37 agredidos por animal raivoso; 33 acidente de trabalho. O número de internações em janeiro foi de 632. Desse total, 57 foram de vítimas de acidentes com motocicletas.

MaisPatos

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

DOSE DUPLA: Dois Catandubas anunciam pré-candidaturas a vereador


Os empresários José Soares (Zeinha) e Francisco de Assis Tavares (Assis Catanduba) entraram em contato com  este blog para anunciar que pretendem disputar às eleições deste ano para o cargo de vereador. 

Assis é tio de Zeinha, ambos são  filiados ao PR, partido aliado do atual prefeito Nego de Guri. 

O vereador Assis disse que “Se um Catanduba na Câmara faz muito, dois Catandubas farão muito mais”, no entanto, afirmou que entrega a sua candidatura nas mãos do povo a quem  humildemente pedirá mais uma vez o apoio e a confiança.

O PR em Teixeira já tem os seguinte nomes como pré-candidatos a vereador: Jose Soares (Zeinha) Maneta, Bio Bento, Jucelino Marques, Sorinho do Calçamento, Zé dos Imbus, Nego Som , Assis Catanduba, Ronys (conhecido por  ventão), Ronaldo de Mô e Paiaco.

Foto: Thadeu Filmagens

O trecho da adutora do Pajeú que vai de São José do Egito a Itapetim deverá avançar 3,6 km por mês


O Diretor da empresa  MRM,  durante a visita do coordenador nacional do DNOCS as obras da Adutora do Pajeú, disse que pretende avançar cerca de 3,6 Km por mês de tubulação em sentido Ambó/Itapetim. A obra está com a tubulação sendo colocada desde a Estação  de Tratamento da Compesa  de São José do Egito  cortando os bairros São João, Borja e Planalto.



Mais Pajeú